Ir para o conteúdo

Prefeitura de Costa Rica - MS e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Prefeitura de Costa Rica - MS
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
MAR
22
22 MAR 2023
MEIO AMBIENTE
Mais de 2,7 mil hectares são anexados ao Parque das Nascentes do Rio Taquari entre Costa Rica e Alcinópolis
Foto Noticia Principal Grande
Fotos: Silvestre de Castro - Assecom - PMCR
enviar para um amigo
receba notícias
Nesta terça-feira (21), o vice-prefeito de Costa Rica, Roni Cota, acompanhado de lideranças do IMASUL (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), participaram da ação de Imissão de Posse de um imóvel rural denominado Fazenda Continental, com uma faixa de terra de 2.765.767 hectares, que foram desapropriados amigavelmente pelo Estado e agora fazem parte  do Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari entre os municípios de Costa Rica e Alcinópolis. O objetivo com essa área anexada à Unidade de Conservação visa iniciar o maior projeto de recuperação de áreas degradadas do Brasil.
 
“Essa ação é parte das medidas tomadas pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, com apoio de ambos os municípios para alcançar o seu objetivo de um estado próspero, verde, digital, inclusivo e com um projeto de Carbono Neutro. A incorporação da Fazenda Continental no Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari é uma importante contribuição para garantir o equilíbrio ambiental e a preservação da fauna e fauna”, argumentou o vice-prefeito de Costa Rica.
 
Do total adquirido cerca de 1.300 hectares estão com solo degradado pelo uso intensivo da pecuária e precisam ser restaurados. O fiscal ambiental Rômullo Oliveira Louzada é o técnico responsável pelo projeto. Ele explica que na região de voçorocas, o procedimento indicado é desviar o curso dás águas para cessar o processo e depois semear espécies de gramíneas que farão a contensão e adubação do solo. Enquanto isso, em parcerias com empresas que têm passivos ambientais a compensar, serão feitas as técnicas de conservação do solo na área restante, num prazo de 6 anos. Na medida em que os trabalhos avançam, o plantio das espécies nativas é feito em seguida.
 
Nesse local se inicia formalmente nessa quarta-feira (22), Dia Mundial da Água, o maior projeto de recuperação ambiental do Brasil em unidades de conservação que compreende o plantio de mais de 1 milhão de mudas de espécies nativas do Cerrado.
 
O diretor-presidente do IMASUL, André Borges Barros de Araújo, afirmou que “essa área é muito relevante para a gestão do parque como um todo porque tem um processo de erosão muito grande que leva os sedimentos para dentro do Rio Taquari. Essa situação contribui para o problema que está acontecendo na planície pantaneira, onde o rio sai do seu leito natural e vai assoreando tudo em volta. Com a aquisição dessa área, o ente público pretende iniciar um processo de recuperação para recuperar todas as erosões, voçorocas ou trabalho de conservação de solo e água, fazer a revegetação para garantir que segure esse solo, esses sedimentos e que ele não vá para dentro do curso d’água”, disse.
 
De acordo com Nahur Tito Queiroz de Britto, secretário de Desenvolvimento, Agricultura, Pecuária, Turismo e Meio Ambiente de Alcinópolis, a incorporação da área ao Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari é extremamente importante para o adensamento vegetativo e biodiversidade, tanto da fauna quanto da flora. “Acredito que isso contribuirá significativamente para a proteção do meio ambiente na região. Agora, é necessário trabalhar na recuperação da área degradada e agradecer ao Governo do Estado, através do Imasul, pela aquisição e incorporação ao parque em questão”, explicou o secretário.
 
O ex-proprietário, Nim, que fez a aquisição da área da Fazenda Continental há 39 anos, está satisfeito com o destino final que será feito. Ele afirmou que fez uma desapropriação amigável e que será um memorial importante para sua família, seus netos, de alguém que viu a relevância desse destino final da sua propriedade. Sorridente, não conseguia esconder o seu contentamento diante do feito. Ele declarou que vai deixar saudade, mas é para uma boa causa.
 
Também estiveram presentes ao ato, o procurador-chefe, Jaime Caldeira Jhunyor; o gerente de Unidades de Conservação, Leonardo Tostes Palma; a gestora do Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari e chefe do Escritório Local de Costa Rica, Martha Gilka Gutierrez Carrijo; a chefe de Meio Ambiente de Costa Rica, Iva Barbosa Narciso, entre outras autoridades regionais.
 
Conhecendo o Parque
 
O Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari é uma área protegida localizada no estado de Mato Grosso do Sul, Brasil. O parque abrange uma área de 30.618 hectares, protegendo as nascentes do Rio Taquari, que é um importante afluente do Rio Paraguai. Foi criado em 1999 e partiu da iniciativa da comunidade de Costa Rica para proteção das nascentes do, preocupada com a acelerada degradação dos rios que formam a Bacia Hidrográfica, uma das mais importantes do Pantanal.
 
A Unidade de Conservação abrange partes dos municípios de Alcinópolis e Costa Rica e possui 30.618 hectares no total, formando um importante corredor ecológico entre cerrado e Pantanal. Dessa área, 6,6 mil hectares precisam ser recuperados e 24 mil hectares estão cobertas com vegetação nativa. É uma região de grande beleza cênica, incluindo matas ciliares, cerrados, campos e cursos d’água. O parque também possui uma rica biodiversidade, com muitas espécies de animais e plantas, algumas das quais são ameaçadas de extinção. O parque é aberto ao público e oferece diversas atividades, como trilhas, observação da fauna e flora, e educação ambiental. Além do tesouro biológico que o Parque guarda, estão ali também importantes sítios arqueológicos que registram vestígios de Peabiru, antigas rotas dos povos originários datadas de 11 mil anos atrás e ainda inscrições em cavernas, pinturas rupestres e petróglifos de antigas fases da ocupação humana na região.
 
Fonte: Assessoria de Comunicação PMCR c/ Imasul
Autor: Silvestre de Castro - Jornalista e Radialista
Seta
Versão do Sistema: 3.4.1 - 29/04/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia